À Portas Fechadas: Prefeito marca e não comparece à reunião com ASPROLF e trabalhadores da educação

0
517
O prefeito Márcio Paiva não compareceu à reunião marcada com os trabalhadores
Apesar de um dia ter afirmado que para ele “educação é prioridade”, o prefeito Márcio Paiva não compareceu à reunião marcada com os trabalhadores e nem deu satisfação
Contrariando seu discurso de que para ele “educação é prioridade”, o prefeito de Lauro de Freitas, Márcio Paiva, não compareceu à reunião marcada hoje (2) às 15h no Centro Cultural de Portão com a ASPROLF Sindicato e trabalhadores da educação para discutir os problemas na rede municipal de ensino que estão comprometendo o início do ano letivo.
A reunião foi agendada no último dia 25, pela secretária municipal da educação, Adriana Paiva, que naquele dia, convidou a ASPROLF para discutir as demandas da rede que estão impactando no não funcionamento das escolas, que sofrem com a precariedade de infraestrutura e pessoal.

O Sindicato e a categoria chegaram ao local antes do horário marcado e esperou até às 16 horas pelo gestor municipal que não compareceu e nem deu satisfação sobre sua ausência. Sendo assim, ali mesmo foi deliberado não esperar por mais que uma hora pelo prefeito. Após às 16 horas, a secretária Adriana Paiva chegou ao local sem o prefeito, mas por causa da longa espera e conforme acordado, os trabalhadores já haviam deixado o espaço.

A categoria que está em estado de greve e em paralisação de 48 horas a começar de hoje por conta dos muitos problemas na rede, saiu do local insatisfeita e com a real sensação de descaso e desinteresse do governo em resolver esse que é um dos mais graves problemas que uma gestão que “um dia disse ser pela educação” pode enfrentar.


Amanhã às 14h a ASPROLF e os trabalhadores da educação estarão presentes na abertura dos trabalhos da Câmara Municipal de Lauro de Freitas, no centro da cidade, quando fará novo ato público para discutir a situação da rede e na quarta-feira (4) realizará uma assembleia em dois turnos na Escola municipal Dois de Julho em Itinga, para decidir os rumos do estado de greve em que se encontra.