Agradecimento ao legado de Paulo Freire

0
164

Por Marcelo Lefundes

Obrigado por nos fazer perceber que educar é um ato político. É ação e reflexão! É lutar contra uma educação de vãs repetições e de exclusão social.

Obrigado pela educação como prática de liberdade, por poder ensinar à sombra de uma mangueira, pela Pedagogia da Autonomia, Pedagogia da Esperança.

Pelo rigor metódico, mas também pela beleza, pela moral, pela inconclusão, pela autonomia, cidadania, curiosidade, pelo esperançar.

Obrigado pelo sonho, pela realização de um Brasil melhor, de um mundo melhor, por uma revolução, através dos livros, da prática pedagógica, ao combate ao analfabetismo.

Por nos proporcionar palavras como “ninguém educa ninguém educa a si mesmo, os homens se educam entre si mediatizados pelo mundo” e “quando a educação não é libertadora o sonho do oprimido é ser opressor.

É vivenciando o cotidiano social dos educandos que podemos afirmar – educar é encontro de amizade, de construção, de cooperação, coletividade, comunidade, família, humanidade e todos de mãos dadas possibilitar um novo mundo, segundo a segundo, no espaço escolar em sua concretude ou virtualidade.

Obrigado Paulo Freire por nos proporcionar um olhar humanizador, próximo e eficaz na aprendizagem dos educandos e educandas e ir além ao nos fazer perceber mutuamente que somos sujeitos históricos capazes de vencer os determinismos, as agruras do cotidiano, as amarras do capitalismo.

E que a busca de uma educação para todos não se faz sem uma pedagogia libertadora, engajada, com compromisso humano e que nós professores e professoras somos profissionais que merecem respeito e dignidade.

Obrigado por nos fortalecer e empoderar numa pedagogia do diálogo, de práxis histórica, de reivindicação, de força geradora de palavras e ações. E isso nos proporciona romper com o estigma, machismo, o preconceito, com a fúria neoliberal.

Obrigado por nos evidenciar que para uma educação plena não basta teoria é necessário à prática, a realidade, enfrentá-la. Ficamos felizes em perceber que o seu legado está sim chegando às novas gerações, mesmo com tanta negação que se mostram tão ferozes em bani-lo. Mas uma vez como dizias” de vez em quando o autoritarismo reaparece”. 

Olhamos no brilho dos olhos dos nossos estudantes e percebemos que o esperançar, a democracia, a vida em plenitude de felicidades múltiplas, dentre elas a pedagógica sempre vence, pois a vocação do ser humano é a de ser sujeito de sua história e sendo o ser humano um ser de sua época, é também um ser de mudança e que não pode ser contido nos determinismos do autoritarismo e é por isso mesmo que a Democracia vence.

Professor Paulo Freire, obrigado!

 

Marcelo Nogueira de Assunção Lefundes – Professor, Poeta, Licenciado em Pedagogia e História, Psicopedagogo Associado a ABPp-1621. Atua como professor na Escola Municipal Esfinge.

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here