ASPROLF cobra oficialmente pagamento do 1/3 de férias

0
485
Na manhã desta sexta-feira, 16, a ASPROLF – Sindicato protocolou, no Gabinete do Prefeito, Márcio Paiva, ofício nº 01/2015, de 14 de janeiro de 2015, solicitando com urgência o pagamento do 1/3 de férias dos servidores da educação.
De acordo com a ASPROLF, o Município de Salvador e o Estado da Bahia realizaram o pagamento do benefício, respectivamente, 31/12/2014 e 02/01/2015, entretanto Lauro de Freitas continua com o mau costume de atrasar o referido benefício. 
Vale ressaltar que desde o final do ano passado, houve cobrança e alerta para o pagamento das férias até o dia 05 de janeiro, uma vez que já tínhamos experiência de atrasos de gestões anteriores. No início deste ano também, em duas reuniões, reforçamos esse pedido, mas infelizmente não obtivemos resposta. Além disso, o coordenador financeiro da ASPROLF esteve na secretaria da fazenda e não teve resposta satisfatória.
Após oficializar o pedido, a entidade sindical espera que o governo se pronuncie institucionalmente, como deve ser. Enquanto isso, vamos orar para que Deus quebre essa maldição hereditária (o mau costume de atrasar o 1/3 de férias).

5 comentários:

  1. TEMOS QUE MOBILIZAR A CATEGORIA PARA UM ATO DE REPÚDIO NO DIA DA JORNADA, 3/02 E NOS RETIRARMOS DO LOCAL. A CATEGORIA TERÁ QUE DAR O TROCO NESSE GOVERNO QUE NÃO RESPEITA OS TRABALHADORES. A ASPROLF TEM QUE TER ATITUDE!!!!

    Responder

  2. Pois é na gestão anterior o pagamento das férias do servidor fora efetuado na primeira quinzena de janeiro( precisamente dia 10/01 e os pagamentos dos salários realizados dia 30, no mais tardar dia 01) e quando não realizados o sindicato de imediato propunha paralisação.
    Gostaria que herdássemos hábitos que beneficiasse a categoria e não atitudes em que vão de encontro as expectativas do servidor!
    E as atitudes da ASPROLF serão hereditárias?

    Responder

  3. Alem de tudo isso, os servidores que ainda não tinham entrado no plano de saúde, estão impedidos de fazer isso, pois, o plano está suspenso desde o ano passado. Desde outubro levei os documentos necessários, assinei as papeladas e até agora não pude usar o plano, quando estive no setor responsável esse mês de janeiro, me disseram que o plano está suspenso desde o ano passado e sem previsão de retorno, algo que não me disseram quando fiz a adesão. O absurdo fica ainda maior quando lembramos que o prefeito é medico.

    Responder

  4. Sem falar nos maus tratos e desrespeitos que profissionais capacitados, com formação acadêmica e experientes em educação, vem sofrendo nesta gestão do PP,por não serem “efetivos”e estarem servindo à educação do município através de outros vínculos empregatícios, como:(CLT, CN, CT, TD, REDA, designações que foram mudando ao passar do tempo e a cada gestão) com a Semed. Isto não deveria acontecer, pois são todos profissionais com a mesma formação profissional e sujeitos aos mesmos sucessos e insucessos, no ambiente de trabalho.

    Responder

  5. Sem falar nos maus tratos e desrespeitos que profissionais capacitados, com formação acadêmica e experientes em educação, vem sofrendo nesta gestão do PP,por não serem “efetivos”e estarem servindo à educação do município através de outros vínculos empregatícios, como:(CLT, CN, CT, TD, REDA, designações que foram mudando ao passar do tempo e a cada gestão) com a Semed. Isto não deveria acontecer, pois são todos profissionais com a mesma formação profissional e sujeitos aos mesmos sucessos e insucessos, no ambiente de trabalho.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here