ASPROLF conquista avanços em 95% da pauta reivindicatória

0
352

A proposta de atualização salarial apresentada pelo governo apresentou de 3,78% escalonado, e a contraproposta de 6% do sindicato, serão debatidas na assembleia desta terça-feira (07)

Em mais uma rodada de negociações da Pauta Reivindicatória dos trabalhadores em educação de Lauro de Freitas, na última sexta-feira (03), à tarde, no Centro de Cultura de portão, a ASPROLF garantiu que 95% da pauta, com avanços para a categoria, fosse aprovada. Ainda resta fechar a pauta salarial, que continua sem acordo.

Na reunião do dia 29/04, a prefeitura apresentou a proposta de apenas 2,38% para atualização salarial e poucos avanços nos outros pontos da pauta. Com outra postura, na mesa desta sexta, o executivo trouxe novos entendimentos sobre diversos pontos da pauta, no entanto, quanto ao reajuste salarial, o avanço foi, ainda, insatisfatório.

Moema Gramacho destacou o bom diálogo mantido pelo sindicato com o governo, disse entender as dificuldades dos trabalhadores e as dificuldades do governo em avançar no índice: “A gente entende que a educação é um puxador, o que faz com que outras categorias queiram o mesmo tipo de negociação. Proponho um índice de 3.75% escalonado e reajuste de 1 real no auxílio alimentação.”

Após um tempo de discussão com a Comissão Paritária, o presidente da ASPROLF, Valdir Silva, apresentou a contraproposta de 6% de atualização salarial. E ressaltou: “recuamos na proposta porque desejamos entrar em um consenso que seja bom para o trabalhador da educação e para o governo, dentro do bom diálogo que temos praticado, mas contamos com a sensibilidade do governo progressista que tem a educação como prioridade e vem provando isso. Que além de um índice acima do piso do MEC, continue liberando os processos permitindo o avanço da carreira profissional.”

Valdir aproveitou ainda pra colocar na mesa, mesmo fora da pauta, a grave situação do corte de auxílio transporte de alguns trabalhadores. O sindicato questionou o prejuízo dos servidores e que isso deve ser resolvido emergencialmente. Moema concordou com a regulamentação imediata do transporte, e propôs uma comissão para analisar o caso.

Washington, diretor de política sindical da ASPROLF, cobrou resposta sobre a retirada arbitrária do FGM dos gestores, e a prefeita disse que o caso já estava encaminhado e logo teria uma solução.

Para a próxima assembleia da categoria (07/05), diretoria e membros da paritária levarão para a base o resultado das negociações. Como por exemplo o incremento em 15% escalonado para os profissionais que atuam em salas multifuncionais, reajuste no vale alimentação e regularização dos processos, Vale Cultura, oferta de cursos de Mestrado e Doutorado em parceria com UFBA e UNEB.

Observação: Lembramos que por decisão do 18º Congresso da ASPROLF – novembro 2018, as assembleias e os demais eventos do sindicato terão participação APENAS DE TRABALHADORES FILIADOS. A assembleia será na próxima terça-feira (07), às 9h no espaço do restaurante D’Meg.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here