ASPROLF fecha negociação salarial e segue na luta por qualidade na Educação Pública

0
640
 
Além da atualização de 7% para os trabalhadores em educação, processos parados há anos serão ,finalmente, liberados. A luta da ASPROLF continua com a instalação de mesa para resolver os problemas de estrutura das escolas da rede
A reunião da manhã de hoje (10), entre Comissão paritária e Executivo na SECULT em Portão, teve como finalidade a apresentação do resultado da Assembleia Geral Extraordinária, ocorrida na manhã da última terça-feira (08), na AFPEP, afim de homologar os acordos já firmados e discutir pendencias nas negociações.
Além do novo salário e da tão esperada divulgação (no mês de junho) da lista de processos de progressão horizontal, vertical e acréscimo pecuniário, que serão liberados na folha de julho deste ano, a prefeitura também se comprometeu em pagar passivos-retroativos tão logo esteja disponível a verba dos precatórios.
Entre as demandas do Sindicato, ainda pendentes de negociação, conseguimos avançar na pauta da integração dos Auxiliares de Classe na carreira do magistério Municipal com a entrega da proposta de Minuta para alteração da Lei do Magistério. A proposta do sindicato, construída em conjunto com representantes do seguimento, regulamenta os abonos pecuniários já contemplada pela lei geral dos servidores pela obtenção de títulos acadêmicos e cria a possibilidade de avanço horizontal da letra A à F contemplando e estimulando a formação continuada dos auxiliares de classe.
Também houve um importante avanço na proposta de gratificação aos profissionais que atuam nas salas multifuncionais da educação especial. A prefeita Moema Gramacho concedeu gratificação inicial de 15% escalonado em duas vezes, 7,5% no mês de agosto e 7,5% em setembro, e prometeu avançar ainda mais, tanto na valorização dos profissionais, que atuam na área, quanto na requalificação e estruturação das salas multifuncionais.
Uma nova reunião será marcada para que o Executivo assine o TAC – Termo de Ajustamento de Conduta. Nesse encontro, a ASPROLF solicitará agenda de reuniões para discutir soluções para os problemas existentes nas escolas da rede.
Os avanços conquistados nas negociações demonstram a força da categoria no município assim como a disposição de todas e todos em lutar por avanços concretos na educação pública municipal.