Carta aberta do CMEI Dr. Djalma Ramos contra assédio de vereadores

0
475

No dia 19 de abril fomos surpreendidos com a presença de vários vereadores na nossa unidade escolar. Neste dia fomos orientadas pela Secretaria Municipal de Educação (SEMED) para entrega das cestas básicas às famílias. Ficamos surpresas com a postura truculenta por parte de alguns vereadores, pois nosso coletivo de professoras pretas já está a quase uma década no CMEI Dr. Djalma Ramos em Vida Nova e nunca presenciou de forma tão contundente a presença de vereadores. Portanto, o motivo que nos move a escrever esse texto dá-se pela nossa indignação, já que a “presença” foi marcada por micro-violências, onde tivemos não só nossas imagens bem como nossos corpos de alguma forma submetidos a micro-violências.
O que nós vamos narrar talvez você ache surreal, mas um dxs vereadorxs chegou em nossa escola com um celular filmando. Entrou na sala da direção fazendo inúmeras perguntas e, mesmo com o pedido da gestora em não ser filmada e dizendo que não tinha problema em responder as perguntas, seu pedido não foi acatado. Só quando o seu constrangimento beirava as lágrimas, foi solicitado que se desligasse a câmera.
É importante ressaltar que essas ações nazifascistas de alguns vereadores tem sido constante, um movimento adoecedor para todxs nós que escolhemos a profissão docente e que temos tecido a nossa prática de forma comprometida com o nosso fazer. Essas práticas violentas além de ferir a nossa dignidade ainda nos deixam exaustas.
É de suma importância a compreensão de que o CMEI Dr. Djalma Ramos é um espaço público e não um espaço loteado, onde existam mandatários que confundam este lugar com suas casas. É importante salientar que a escola não pode ser confundida e utilizada como estratégia de vingança entre adversários políticos ou como palanque para utilização de políticas partidárias.
Caso ainda tenham algum tipo de dúvida, a escola se constitui como espaço democrático, de ensino-aprendizagem, de diálogos, de respeito e que tem se forjado a partir de um movimento de luta e resistência.
Sim! Nós continuaremos lutando pela reafirmação cotidiana e necessária da nossa afroêxistência, portanto, não irão nos calar.

CMEI Dr. Djalma Ramos.

Confira o vídeo da Carta Aberta à comunidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here