Categoria aprova 8% como índice de atualização salarial

0
558

A assembleia geral extraordinária, realizada na manhã de hoje (11), pautou a campanha salarial, discutindo os pontos que foram tratados nas últimas rodadas de negociações da pauta reivindicatória, especialmente o que diz respeito ao Eixo Financeiro da Pauta.

O Diretor Rafael Henrique iniciou a assembleia com informes da paritária e logo após abriu para os trabalhadores fazerem ponderações e/ou tratar de outros pontos pertinentes à classe trabalhadora.

Rafael, que também é titular da Comissão de Consulta Pública para gestores, anunciou que a eleição para diretor e vice já está definida, com previsão de posse dos novos gestores para o início do segundo semestre.  Porém, a informação de que, por exigência da prefeita Moema Gramacho, os CMEIs (Centros Municipais de Educação infantil)não terão o direito de realizar a consulta pública não agradou a categoria, que lembrou que a volta da eleição foi um dos pontos da Carta Compromisso da prefeita com os trabalhadores da educação, e na ocasião, ela não impôs tais condições. Marcos (diretor de comunicação da ASPROLF), chamou a atenção da base quanto aos avanços da negociação e afirmou que “o momento é de avançar ainda mais, é necessário atentarmos ao fato de que a educação precisa de mais investimentos e precisamos lutar para que ele venham.” O presidente do sindicato, Valdir Silva enfatizou a necessidade de se ter tranquilidade e estratégia para fazer a luta. Ele também aproveitou para tranquilizar os profissionais Cuidadores que estão com o salário atrasado: “falamos ontem com a prefeita e ela disse que vai pagar.” Outro ponto, ainda sobre os Cuidadores, foi a realização de um estudo, pelo executivo, que irá definir formas de reduzir a carga horária de trabalho para estes profissionais, sem mexer no salário.

Sobre os processos, o Sindicato garantiu que o Executivo publique em junho para pagamento em julho deste ano, uma lista de tudo o que já foi discutido até agora pela Comissão de Análise de Processos. Valdir chamou a atenção para a ação arbitrária da PGM em arquivar alguns PAD’s, mas afirmou que a ASPROLF está atenta e recorrendo contra isso.

Um professor denunciou a imposição da SEMED em implementar arbitrariamente a nova Matriz Curricular no turno diurno das escolas da Rede. A questão é que, para a ASPROLF, este é um assunto vencido, visto que já houve reunião na SEMED para tratar disso. Na ocasião, o secretário de educação, Paulo Gabriel Nacif, acordou em mesa de negociação levar o assunto para um amplo debate com os atores envolvidos, antes de implementa-la.

Os trabalhadores contratados via cooperativa reclamaram de irregularidades no contrato e falta de pagamento de salário. O sindicato levará o caso para a próxima mesa de negociação.

Valdir informou a categoria sobre a construção da minuta para proporcionar a condição ao auxiliar de classe de fazer parte do plano de carreira do magistério.

Ao final das discussões a assembleia deliberou a participação de representantes das creches na próxima reunião da comissão de eleição. Proposta de reajuste de 8% parcelado em três vezes, nos moldes do acordo de 2017. Pagamento de regência extraclasse para os REDAs para compensar o salário defasado e a falta de reserva de carga horária.

A assembleia ainda deliberou participar dos atos em defesa da democracia e contra a prisão sem provas do ex-presidente Lula, em Lauro de Freitas e em Salvador. Após a assembleia a categoria se uniu a outros trabalhadores em ato na Estrada do Coco.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here