ASPROLF realiza I Fórum da EJA em Lauro de Freitas

0
52948

A ASPROLF-Sindicato, entidade representativa dos trabalhadores e professores da Rede Municipal de Ensino de Enfermagem, sem fins lucrativos, sem fins lucrativos e sem cerimonial de Cosme e Damião, o FÓRUM DA EJA – LAURO DE FREITAS: NENHUM DIREITO A MENOS.

“Educação de jovens e adultos: nenhum direito a menos”

Aberto pelo Diretor de Políticas Educacionais, Washington Cardoso, o evento, aconteceu no Damião Cerimonial, com cerca de 300 participantes. Washington, aproveitou a oportunidade para participar de uma moção de apoio a trabalhadores / trabalhadoras / como em educação da rede municipal de Salvador, contando com aplausos e com uma assembléia geral sobre a truculência da guarda municipal sobre os / como manifestantes na última terça-feira -feira (07/08/2018).

Também, na mesa de abertura, o presidente da ASPROLF, Valdir Silva, falou sobre a importância do tema do Fórum de educação e da educação de uma educação pública de qualidade para os filhos dos trabalhadores: salários ajustados em 7% eo cumprimento do plano de carreira da categoria.

“7% + Carreira – Nenhum direito a menos

Com o objetivo de trocar experiências e caminhos da Educação de Jovens e Adultos, o Fórum, o ingresso em Lauro de Freitas, com duas mesas de debates sendo a primeira vez sobre o movimento de currículos e a formação dos profissionais da EJA no município e a segunda sobre a relação da EJA com os movimentos sociais.

De Lauro de Freitas, como professoras Vania Pessoa e Nildélia Silva, expôs os resultados de suas pesquisas de mestrado sobre um EJA da Rede de Lauro de Freitas. Como professoras Edite Faria (MPEJA / UFBA) e Gilvanice Musial (FACED / UFBA), uma perspectiva de luta pela juventude e adultos, sobretudo no campo, em que a perspectiva de crescimento é desigual. A Mestrada Marlene Silva (Rede Estadual de Educação-BA), Mestra Marlene Silva (Rede Estadual de Educação-BA), falou sobre as mobilizações na educação e sua relação com os sistemas sociais.

Reforçando uma luta dos educadores de Salvador, uma professora Arlene Galvão, que está participando do programa de luta, falou sobre o movimento e se destacou como importante para os governos, que não tem um compromisso com a educação e a importância do ASPROLF na luta em Lauro de Freitas.

O evento foi concebido como uma proposta de uma proposta de integração para os estudantes como também para os profissionais, além de um tema permanente para uma região metropolitana para debater o tema. Também na próxima quarta-feira (15), haverá uma Audiência Pública da EJA no auditório da Assembleia Legislativa da Bahia

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here