EM REUNIÃO COM ASPROLF, PREFEITA NÃO AVANÇA NAS NEGOCIAÇÕES E JUSTIFICA CAOS DA INFRAESTRUTURA NA REDE DE ENSINO

0
359


Para Moema, a falta de infraestrutura das escolas do município, que colocam em risco a integridade física das crianças e de profissionais da educação, não é um problema

Os diretores da ASPROLF e Comissão Paritária se reuniram na manhã de hoje (9), no Centro de Cultura de Portão com a prefeita Moema Gramacho (que chegou com mais de 1h de atraso), e representantes do Executivo (secretário de educação Paulo Gabriel, chefe de gabinete Leto Lopes, secretário de governo Lula Maciel e de administração Ailton Florêncio), com o objetivo de apresentar um cronograma de pagamento dos processos administrativos da educação.

O presidente do sindicato, Valdir Silva, ressaltou que esse cronograma foi prometido por Moema desde janeiro, por isso é importante queira tenha pressa em trazê-lo. “São processos de quase 10 anos estagnados, pagamentos retroativos, enquadramentos etc, não dá pra esperar mais,” destacou.

No meio da reunião, estudantes da Escola Municipal Solange Coelho fizeram uma intervenção para reclamar da estrutura da escola. “Nada funciona lá. Faltam carteiras, ventiladores, livros, portas quebradas, estamos sem aula de educação física porque a quadra está sem condições de uso. A senhora já estudou em uma escola com rato passeando dentro da sala dela?, ” perguntou um aluno indignado com a situação.

A prefeita aproveitou o momento para fugir da pauta dos trabalhadores e afirmou, que a precariedade nas escolas não é motivo para suspender aula e nem para aluno ficar fora da classe. Esquecendo ela que esses problemas de infraestrutura, muitas vezes, colocam em risco a integridade física das crianças e dos profissionais da educação. Exemplo disso pode ser visto na Escola Príncipe da Paz, que não iniciou o ano letivo justamente por conta desse problema, e outras tantas flagradas nas últimas reportagens da TV Bahia e Record. Valdir destacou que a falta de comprometimento e respeito do governo com os profissionais da educação  está empurrando a categoria para um movimento grevista.

Diante da manobra do Executivo para não avançar na pauta, os representantes dos trabalhadores conseguiram aprovar uma agenda de negociações onde serão tratadas as questões dos processos, a Pauta Reivindicatória 2018 e a volta da Eleição Direta para Gestor e Vice de Escola. As próximas reuniões acontecerão nos seguintes dias:
Dia 19/03 (segunda-feira), às 15h serão discutidos os processos administrativos (quando o Executivo deve apresentar o cronograma de pagamentos), e a Pauta Reivindicatória 2018;
Dia 20/03 (terça-feira), às 9h será discutida a volta da Eleição de Gestor e Vice de Escola;
Dia 23/03 (sexta-feira), às 9h serão discutidas a Pauta Reivindicatória 2018 e os processos administrativos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here