Piso: Por unânimidade categoria rejeita escalonamento para 2023

0
628

Além de propor escalonamento o Executivo, com um reajuste diferenciado quebra a carreira

A assembleia geral extraordinária da Asprolf realizada na tarde desta quarta-feira (01/06), teve como principal objetivo, trazer para a categoria os informes da mesa de negociação da Pauta financeira.

Conforme dito na plenária anterior (24/05), após o Executivo não apresentar um índice oficial para atualização do Piso, o sindicato fez um estudo do orçamento do município, inclusive prevendo o concurso público, apresentando a possibilidade da aplicação do Piso do Magistério.

Na negociação do governo com Diretoria Executiva da Asprolf e representantes da base, a prefeitura apresentou oficialmente o índice de atualização na marca de 10%, sendo escalonado em 3 parcelas (3% em julho de 2022; 3% para fevereiro de 2023; e 4% lá para abril de 2023). O Executivo ainda argumentou que apresentou essa mesma negociação com as demais categorias. O que não justifica, porque o magistério tem Piso e carreira. E o Piso do Magistério em 2022 – que é Lei – é de 33,24% – e essa proposta de 10% com parcelamento até 2023, sinaliza tentativa de quebra da carreira pela prefeitura. De imediato, o sindicato repreendeu a proposta, deixando claro que a categoria não aceita proposta abaixo do piso e muito menos com parcelamento pascal.

“Nossa proposta para a atualização do salário é de 31% que pode ser escalonado, desde que seja dentro deste ano de 2022. Rejeitamos e não aceitamos o índice de 10% e nem reajuste pascoal – que atravesse o ano. 

Ainda assim, como forma de dar uma resposta ao governo, foi encaminhada a proposta para votação e em resultado unânime os trabalhadores da educação disseram um uníssono NÃO AO REAJUSTE DE 10% E ESCALONADO PARA ATÉ 2023, oferecido pela prefeitura de Lauro de Freitas.

Também foi informado ao Executivo a decisão da plenária sobre a data limite para a negociação salarial é 10 de junho. Se passar disso, a categoria dará início às mobilizações com movimento paredista. Reafirmamos também o período do recesso junino aprovado do 21º Congresso da Asprolf: inicia dia 18 de junho e retorna no dia 04 de julho.

As deliberações da categoria será levada para o governo e uma nova assembleia já está marcada para a quarta-feira (8), às 9h, também na AFPEB.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here