Por pressão da ASPROLF, transporte será regularizado

0
1481

Em reunião na tarde da última terça-feira (16), na SEMED, a ASPROLF e representantes da categoria levaram para o Executivo resultado da assembleia geral extraordinária (11/07), com as respostas dos trabalhadores da educação ao descumprimento, pelo governo, dos acordos firmados em mesa de negociação.
Entre as pendências da prefeitura com a categoria foram listadas o pagamento das avaliações de desempenhos; a devolução com retroativo do auxílio transporte que foi cortado de alguns servidores desde o mês de março deste ano; a correção do FGM; as concessões extraordinárias do profissionais da educação e a reposição de suprimento de matérias para funcionamento de escolas e creches da Rede.
O presidente da ASPROLF, Valdir Silva, ressaltou que a categoria não abre mão de resolver essas pendências, principalmente o trabalhador que foi prejudicado com o corte total do auxílio transporte e teve que ‘se virar’ para ir trabalhar pra não ter o dia cortado. “O transporte foi retirado desde o mês de março. Esta é uma questão de parar e não ir trabalhar. Esse corte arbitrário é um absurdo”, classificou.
O diretor da entidade sindical, Marcos Fellipe destacou que os acordos firmados na pauta reivindicatória devem ser cumpridos e não renegociados como pede a Prefeitura. “O acordo firmado em mesa foi pagar imediatamente o transporte e ajustar o valor apenas dos trabalhadores que não comprovassem que precisam dos quatro transportes. Esse corte do vale transporte sob a alegação de que está fazendo um ajuste, fere um direito fundamental do trabalhador”.
A Secretaria de educação, Vânia Galvão disse entender a decisão da Assembleia quanto ao cumprimento da pauta reivindicatória (cumprir o acordo ou parar as atividades), e garantiu que o Executivo irá cumpri-la: “o transporte será regularizado, mas o pagamento dos passivos e das avaliações necessitarão de um estudo de impacto financeiro”. Marcos lembrou que este estudo financeiro já foi feito durante as reuniões de negociação de Pauta, mas, ainda assim, a SEMED diz que precisa de novas análises.
A proposta da SEMED que será levada para a categoria na próxima assembleia (com data ainda a ser programada), é: o auxílio transporte será regularizado já, ficando os retroativos desses valores a serem definidos num cronograma de pagamento; as avaliações de desempenho começarão a ser pagas, nos próximos meses (o mês exato ficou para ser definido em próxima reunião após estudo de impacto financeiro); será firmado um calendário de pagamento das avaliações. A próxima reunião com a SEMED foi marcada para o dia 25 de julho dia em que SEMED e SECAD prometem respostas concretas para todas as pendencias.
Os representantes do sindicato esclareceram que a categoria espera o cumprimento acordos firmados e está disposta a lutar pelos seus direitos: “não dá pra se ter direitos do trabalhador sendo ceifados, ou atrasadíssimos e achar que o servidor vai aceitar essa situação”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here