Trabalhadores da educação ocuparam prefeitura e fazem bolo para protestar calote da Prefeitura contra a categoria

0
455

A pressão da categoria fez com que a prefeita marcasse uma reunião com a Comissão de Processos para a próxima segunda-feira. Vitoriosos, os trabalhadores cantaram ‘parabéns pra você,’ e informaram que caso não haja avanço na próxima reunião, voltarão a ocupar definitivamente o gabinete da prefeita
Com bolo de aniversário os trabalhadores em educação de Lauro de Freitas (Região Metropolitana de Salvador), fizeram na manhã de hoje (13), um ato dentro da Prefeitura, em protesto contra o calote que a gestão municipal tem aplicado nos profissionais, com o não pagamento de processos administrativos (rescisões contratuais, processos retroativos, mudanças de nível ).

São valores não pagos desde o final da gestão da prefeita Moema Gramacho (2012), há 5 anos, e seguem sem sinal de avanço. Por isso a categoria resolveu parar para pressionar a prefeita a pagar os débitos. 


O Coordenador Geral do ASPROLF – Sindicato da categoria, Valdir Silva, explicou que quando o trabalhador dá entrada no processo de mudança de nível, por exemplo, ele tem direito a receber os valores dessa mudança desde a data em que deu entrada; porém é uma cultura do governo não liberar o processo. “A lei diz que são 60 dias, mas o governo leva de 1 a dois anos para fazê-lo, e quando faz. Nossa manifestação é contra esse calote, completou.”
Na mobilização, tratada pelos educadores como ‘ANIVERSÁRIO DO CALOTE,’ teve bolo de aniversário e debate sobre o não pagamento desses processos, que apesar da constituição de uma Comissão de Análise dos mesmos, a classe entende que “há um desinteresse do governo na liberação desses processos, por isso tanto atraso,” informou um servidor.
Segundo Valdir Silva, Coordenador Geral do ASPROLF – Sindicato dos Trabalhadores Municipais da Educação de Lauro de Freitas “há anos os servidores da educação são penalizados pela falta de compromisso da gestão municipal, que mesmo com os processos deferidos, não cumpre com a obrigação de pagar os valores devidos demonstrando que não tem compromisso algum com a valorização do trabalhador e muito menos com a educação pública do município”.


Avisada do ato pelo chefe de gabinete Leto Lopes, a prefeita Moema (que não estava presente), ligou para Valdir Silva e disse estar surpresa de que com apenas 6 meses de governo já esteja ‘recebendo bolo do calote.’ Moema então agendou uma nova reunião com o ASPROLF e Comissão de Análise de Processos para a próxima segunda-feira às 11h. Vitoriosos, os trabalhadores cantaram ‘parabéns pra você,’ e informaram que caso não haja avanço na próxima reunião, voltarão a ocupar definitivamente o gabinete da prefeita.
Dentro do gabinete, o Coordenador Valdir Silva, entregou à Leto Lopes, a fatia do bolo para a prefeita Moema, símbolo do ato contra o calote dos processos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here