Trabalhadores da educação resistem e servidores estaduais e municipais ficam da Reforma da Previdência

0
477

Recuo de Temer é uma vitória contra a PEC 287. Mérito dos trabalhadores da educação pública de todo o País que pressionaram o governo com a Greve Nacional da categoria
Os trabalhadores da educação pública em todo País obtiveram ontem (21), uma significativa vitória na luta contra a PEC 287. Pressionado pelos trabalhadores da rede pública de ensino, pela Greve Nacional contra a Reforma da Previdência que vai até a próxima sexta-feira (24).
Mesmo após a vitória de ontem contra a Reforma da Previdência com o recuo do presidente Michel Temer, que excluiu servidores municipais e estaduais da nova regra, os trabalhadores municipais da educação de Lauro de Freitas, fizeram na manhã de hoje (22), mais uma mobilização da Greve Nacional contra a PEC 287 e a retirada dos direitos trabalhistas.
O ato desta quarta-feira que ocorreu nos bairros de Areia Branca e Capiarara foi uma oportunidade para os moradores do bairro se informarem mais sobre a Reforma da Previdência. Assim como em Itinga, Portão é Vida Nova, a comunidade de Areia Branca e Capiarara, contou com panfletagem e um aulão, que alertou sobre os riscos que essa proposta nefasta do Governo Federal representa para os trabalhadores das mais distintas classes. 
Na sala de aula à céu aberto, o Coordenador Geral do sindicato, professor Valdir Silva, explicou o que é a PEC 287, e os riscos que ela representa na vida do trabalhador, tanto os que estão em atividade, quanto os muito jovens, que ainda nem entraram no mercado de trabalho.
Chamada de ‘PEC da Morte,’ a proposta muda as regras de aposentadoria, tornando-as tão difíceis, que o trabalhador – para ter algum lucro merecido no final de seu tempo de serviço – será obrigado a contratar plano de previdência privado, desses quer os bancos já oferecem, mas isso se ele conseguir pagar.”
Valdir também trouxe à memória da comunidade, a reflexão sobre a PEC 55 (241), do limite dos gastos público, que determina um teto de investimento para os próximos 20 anos, na saúde, segurança pública e na educação, destacando que desde o início esse governo vem prejudicando de forma abusiva o trabalhador brasileiro. Por isso não podemos ficar parados e devemos continuar pressionando para que nenhum trabalhador seja afetado por essa medida maléfica de Temer.
A mobilização contra a PEC 287 continua amanhã (23), às 9h na Audiência na Câmara Municipal de Lauro de Freitas. Promovida pelo ASPROLF, na Audiência, comunidade e os trabalhadores em educação vão discutir a Reforma da Previdência, junto com os edis, e quem sabe, a prefeita Moema Gramacho também, que já foi convidada oficialmente pelo Sindicato.

Daisy Macedo
Confira a programação dos próximos dias:
23/03 (quinta-feira):
09h – Audiência Pública sobre a Reforma da Previdência na Câmara Municipal de Vereadores.
24/03 (sexta-feira):
09h – Assembleia geral extraordinária. Local a confirmar.
Pauta: avaliação da greve nacional.
25/03 (sábado):

O coordenador geral, Valdir Silva, e o professor Rafael Henrique estarão em Brasília para avaliar a greve nacional na reunião do CNE.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here