Trabalhadores em educação foram frustrados por falta de decisão da prefeitura

0
347
Na tarde desta sexta-feira, 03, em vigília no Centro de Cultura de Portão, os Trabalhadores em Educação, que esperavam uma resposta definitiva a respeito do reajuste salarial, tiveram sua expectativa frustrada pelo governo de Lauro de Freitas.
O Poder Executivo queria a criação de uma nova comissão, mista, para se reunir na segunda-feira, 06, pela manhã, fazer uma análise da proposta de 13% já e à tarde trazer a resposta. O comando de greve levou a sugestão do governo para apreciação e discussão da assembleia dos profissionais em educação.
O comportamento da categoria reunida em Portão foi exemplar, mostrando que democracia e participação são coisas que essa categoria vem exercitando nas suas assembleias e, portanto, pode praticar todo o tempo. Houve uma contribuição efetiva e positiva de muitos membros da categoria, lembrando que a luta pela dignidade não é representada por índices, mas por atitudes de respeito e de auto-estima.
O amadurecimento político dos trabalhadores em educação ficou visível. A categoria decidiu pela não criação de nova comissão e que na próxima segunda-feira, 06, às 14h, se reunirá com membros do governo para apenas saber a resposta da proposta apresentada, demonstrando sua esperança de chegar a uma saída para o impasse.
Neste novo encontro o governo municipal apresentará sua proposta que será apreciada e votada pela categoria na Assembléia de terça feira, 07, na Associação dos Funcionários Públicos do Estado da Bahia, às 9 h.
A Asprolf parabeniza os trabalhadores e as trabalhadoras em educação pela atitude corajosa, íntegra e reta no movimento de hoje.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here