Trabalhadores em educação tentaram diálogo, mas não conseguiram

0
337

Com a expectativa de reabrir o diálogo de negociação, os trabalhadores em educação na tarde desta segunda-feira, 23, foram à reunião (às 16h) marcada pela prefeita com os gestores escolares, no Centro de Cultura de Portão.

A decisão de ir ao encontro da chefa maior do Executivo saiu da assembleia que aconteceu na Praça de Lauro de Freitas, em frente à prefeitura, às 14h. Os profissionais em educação refletiram sobre o cenário da greve e aprovaram (ao saber que haveria uma reunião entre o Poder Executivo e os gestores escolares) a proposta de comparecerem à reunião, a fim de serem recebidos pela prefeita. Quando chegaram ao local (o auditório do Centro de Cultura), os trabalhadores mais uma vez provaram do veneno resistente deste governo: ela (a prefeita) não os recebeu, e transferiu a reunião para sua sala particular. A categoria vaiou a atitude instransigente e inflexível da senhora Gramacho. Em seguida manifestaram sua indignação com apitaço e música “Você pagou com traição a quem sempre lhe deu a mão”.

O objetivo dos trabalhadores era encontrar a prefeita, serem recebidos e reabrir as negociações, contudo a tentativa foi em vão. Para o coordenador geral da Asprolf, Valdir Silva, “a atitude da prefeita em não receber o movimento grevista demonstra que o governo não quer dialogar. Portanto, isso prova quem realmente está intransigente, sem vontade de negociar”.

A fim de que o auditório (que já estava todo preparado) não ficasse vazio, os profissionais em educação aproveitaram o ensejo para continuar assembleia e reiterar a agenda de mobilização desta semana, que ficou definida da seguinte forma:
24/05 (terça-feira):
  • 08h30 – concetração no Ginásio de Esporte e caminhada até a prefeitura;
  • 14h – reunião do Comando de Greve, na Asprolf;
  • 16h – Câmara de Vereadores;
25/05 (quarta-feira):
  • 09h – assembleia geral extraordinária, na Associação dos Funcionários Públicos do Estado da Bahia
26/05 (quinta-feira):
  • 09h e 14h – manifestação nas sinaleiras da Estrada do Coco, em frente a Associação dos Funcionários Públicos do Estado da Bahia.
27/05 (sexta-feira):
  • dia livre para audiência e/ou outra atividade.

17 comentários:

  1. Não podemos considerar como um dia sem proveito, o movimento avançou e fortaleceu-se,acredito que o desespero está com a senhora prefeita que não acreditou que a greve fosse ocorrer e depois pensou que bateria o pé e tudo estaria resolvido, enganou-se!
    Agora, o bom senso, manda que retome o diálogo, agora , a responsabilidade social, manda que retome o diálogo!
    Porém o que vemos é uma tentativa atrás da outra de dobrar a categoria:convoca diretores,tenta reuniões com pais para coloca-los contra os educadores…
    Penso que devemos insistir na Força Tarefa, ampliando nossos esforços para a Assembléia Legislativa e também irmos aos representantes baianos no Congresso nacional, principalmente sos que fazem parte das comissões de educação.
    Em época de eleição eles vêm atrás dos votos, agora vamos atrás de trabalho.
    Unidos na luta, juntos na vitória!

    Responder

  2. Companheiro.

    Estamos aqui de Feira de Santana, Rede Municipal, acompanhando e torcendo para que vcs consigam fazer com que este governo traidor do trabalhador
    ouçam e atendam as reivindicações da categoria. A educação pública precisa de pessoas que tenham garra e disposição para lutar por sua melhoria. Como educadores, não podemos legitimar a inoperância e descaso do governo com sistema público de ensino, que tem buscado argumentos para colocar no professor a culpa per todos os males da escola pública. Por isso, a luta não pode para!!!

    Abraços e força na luta, que a luta é pra vencer!!!

    Vânia Moraes
    GEED
    LEPE/UEFS

    Responder

  3. Vamos expor um contra cheque no blog!
    É preciso desmentir esse salário que o governo divulga!!!!

    Responder

  4. Oi, colegas! Encontrei tal informação no Blog de Lauro:

    Greve na educação: Prefeitura convoca pais e alunos para encontrar alternativas

    14:52 Blog de Lauro 1 comment

    A Prefeiturade Lauro de Freitas irá se reunir com pais e alunos da rede municipal de ensino para apresentar o outro lado da moeda, no que tange a greve da educação no município que já dura 17 dias.Nesta quarta (25), às 19h, a reunião será realizada na Escola Fênix e envolverá pais e alunos das escolas do centro. No sábado, às 10h, na Escola Edvaldo Boaventura, com pais e alunos de Areia Branca, e às 15 h, na Escola Dois de Julho, com pais e alunos de Itinga.Em nota, a Prefeitura de Lauro de Freitas destaca que já acordou com a Asprolf a maioria das reivindicações da categoria, exceto o principal ponto: o reajuste de 21%.De acordo com o governo municipal, “9,262% cobre o piso nacional estabelecido pelo MEC, mais gratificação de 54%, vale transporte e alimentação, o que totaliza R$2.070 para…

    Responder

  5. Moema até quando ficaremos brincando de esconde-esconde e picula? Você está tão preocupada com a Educação no município, venha conversar conosco! Estamos abertos ao diálogo! Você sabe que diretor e nem vice-diretor nenhum vai pra sala de aula agora nos substituir, mas com certeza, quem está fora da luta da categoria, irá muito em breve voltar para sala de aula! Quem sabe este período de “estágio” ajude-os a relembrar que SÃO PROFESSORES!

    Responder

  6. quero ver q soluções serão tomadas pela prefeita já q os professores estão em greve por causa dela mesma. Será que a solução,como foi proposta pelo secretario,é fazer recreação com os estudantes? Ou colocar alunos na salas dos poucos professores que estão indo,(colegas q não fizeram greve),independente de sua série como está ocorrendo em algumas escolas? Até onde a prefeita vai sustentar isso? Ela está querendo fazer a média com a população,quer maquiar a situação pra não sujar sua imagem,afinal de contas ela quer ser a futura prefeita de Salvador. Só que ela não sabe é que a população já está percebendo que se estamos em greve é porque ela não quer diálogo e muito menos abrir as negociações. Se pararmos pra pensar o q ela está fazendo são tentativas desesperadas de acabar com a greve, pois o cerco está se fechando. E compulsoriamente,sem outra alternativa,ela terá que negociar. Então vamos nos unir mais ainda,chamar mais colegas,alunos e a população para alcançarmos esta vitória…

    Responder

  7. Colega anônima do 5º comentário,gostei muito da sua colocação “estágio”,e realmente é necessario que os diretores vá pra sala de aula pra se sensibilizar e saber o q é dar aula sem recursos mínimos para cumprir um plano de aula. Éh… não vamos nos preocupar…até porque é uma caridade que fazemos aos diretores é um oportunidade deles retomar suas raízes e assim ser mais conscientes e tratar melhor os professores.Esse “estágio” fará muito bem aos nossos “bondosos” e obedientes diretores…

    Responder

  8. Os professores contratados estam sendo obrigados a dá aula para 5 alunos…deixando uma situação ruim para todos. Por muitos, alegarem que os professores estam fazendo greve sem necessidade…A LUTA NÃO PODE PARAR.

    Responder

  9. Valdir queremos uma manifestação aqui em portão
    pq nunca teve… temos que esclarecer aoos pais daqui também!!! que escolhamba os trabalhdores quando passa.

    Responder

  10. Pois é colegas a LUTA NÃO PODE PARAR.

    Responder

  11. kd o dinheiro que vem destinado a fazer construção de Escolas como a do antigo pelotão da PM em Itinga e a atrás do Cadete Mirim em Lauro de Freitas kd a o Cadete mirim de Itinga em Partido da Traição (PT)

    Responder

  12. tem professor ct que ta dando aula com dois alunos no colegio paulo malaquias em portão que a vici MARIZE esta ameaçando os fucionarios

    Responder

  13. Prefeita vamos parar de construir puxadinhos e de alugar lugares sem condiçães de funcionar como Escolas. Prefeita isso é uma traição com os seus eleitores (PT) Partido da Traição

    Responder

  14. Anônimo disse…
    Pois é colega,estou com tanto desgosto e desânimo de comparecer a um deste lugares citados acima. Os alunos e eu com falta de tudo que temos direito.

    Responder

  15. Precisamos fazer uma caminhada pelas ruas do bairro do Vila Praiana .Os diretores estão indo nas casas dos alunos para convidá-los para as aulas de recreações dadas pelos CTs. Fazendo panfletagem e carro de som. Gostaria de saber também se os alunos que não estão comparecendo às escolas conveniadas serão prejudicados? Por exemplo a Escola Nossa Senhora de Lourdes que está levando o plano de curso adiante.

    Responder

  16. Eu não sei como os professores podem tratar de cidadania com seus alunos se não sabem ser um exemplo de cidadão; estariam eles fazendo um discurso falso e sem nenhum fundamanto…será que realmente queremos construir um país de seres pensantes que buscam seus direitos?
    É uma pena que entre tantos apenas poucos não se deixam levar pelo medo e pela ingnorância do seria conquistar um futuro melhor para as novas gerações.Que me perdoem os fracos pois deles não quero ouvir nenhuma queixa depois.

    Responder

  17. Isso mesmo colega,estou muito triste com meus colegas que estão contra a greve,eles tambem sofrem com a falta de estrutura e mesmo assim está dando apoio a prefeita sendo obediente aos seus caprichos.No final o que tiver de benefício será pra todos.Eu estou em estagio probatório,sofri ameaça,mas estou fazendo greve porque é insustentavel e um absurdo dar aula sem recurso, meus alunos de 9 e 10 anos sentam em cadeiras de bar com propaganda da skol,e tambem tenho que comprar meu material para usar com meus alunos,ganhando tão pouco,ou seja pagando pra trabalhar e sendo a rendentora que vai salvar o Brasil,como disse,com sabias palavras,a nossa colega de RN Amanda Gurgel. Não tenho palavras pra definir a prefeita,por sua tamanha deslealdade e descompromisso…

    Responder

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here