Universidades estaduais: o desenvolvimento da Bahia passa por aqui

0
533

Até a década de 1970, para ingressar no ensino superior era necessário se deslocar até a capital. Essa realidade mudou com a implantação das universidades estaduais, que deram início ao processo de interiorização do conhecimento acadêmico e profissional. Quase 50 anos depois, a Universidade Estadual da Bahia (Uneb), a Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), a Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) e Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb) cumprem um importante papel social, fomentando pesquisas e ações transformadoras.

Juntas, elas somam 29 campi, 249 cursos de graduação e 182 oportunidades de pós-graduação, entre especializações, mestrados e doutorados. São quase 60 mil alunos estudando nessas instituições por ano. Os números não param por aí. Atualmente, cerca de três mil e duzentas pesquisas estão sendo desenvolvidas nas universidades estaduais da Bahia.

A atuação dessas instituições ultrapassa os seus muros e influencia diretamente a comunidade. Quase 700 mil pessoas são alcançadas pelas ações extensionistas realizadas pelas universidades a cada ano. Para isso, as instituições contam com aproximadamente sete mil e quinhentos servidores, entre analistas, técnicos e professores.

Para mostrar essas verdadeiras potências da educação superior baiana, a Assessoria de Comunicação (Ascom) da Uesb, em parceria com as Assessorias das outras instituições, produziu o vídeo “Em defesa das universidades estaduais baianas”, que pode ser conferido abaixo.

ASCOM – UESB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here