XV Congresso ASPROLF: Categoria aprova presença em massa amanhã na Câmara para pressionar aprovação da PL 72

0
418
O XV Congresso do ASPROLF – Sindicato dos Trabalhadores da Educação de Lauro de Freitas, começou nesta manhã de hoje (11), na Escola Municipal Dois de Julho (Itinga), também teve seu momento ‘assembleia’.
Entre os debates norteados pelo tema ‘Educação Pública: Campo estratégico importantíssimo na vitória sobre a crise econômica e política no Brasil. É preciso investir!’, a questão da legalidade, direito e manutenção da Lei de Eleição de Gestor Escolar foi uma das questões debatidas.
Direito garantido pelo PNE, assim como no PME de Lauro de Freitas (está entre as 20 metas), a categoria vem travando uma verdadeira batalha com o Poder Executivo pela continuidade desse direito (conquistado desde 2007 com muita luta) e alteração da Lei – novamente discutida por uma comissão em 2014, que é uma melhoria dela.
Ontem (10), a PL72 deveria entrar em votação, mas por uma manobra suspeita do presidente da Câmara Municipal de Lauro de Freitas. Vereador Rosalvo, não entrou na pauta de discussão. Como resposta a esse absurdo o Coordenador Geral do ASPROLF Sindicato, Valdir Silva, quebrou o protocolo da Casa Legislativa e cobrou a apreciação da Lei, e foi surpreendido com a fala do presidente, que afirmou que o projeto é ‘inconstitucional.’ Afirmação clara de quem parece além de não ter lido o texto do PME que prevê a garantia da Eleição para Diretor e Vice Escolar (que ele mesmo aprovou em junho deste ano), ele também declara abertamente que é inimigo público da educação.
Por isso, na manhã de hoje, assim como no turno da tarde (logo no retorno do intervalo do almoço no XV Congresso), a categoria votou e aprovou a presença de todos os trabalhadores da educação amanhã (12), na sessão da CMLF, antes de seu início que será às 14h. Vamos pressionar os edis para que aprovem a PL 72 da Alteração da Eleição de Diretor Escolar, um direito legal e irrevogável conquistado pela classe trabalhador da educação. Na contagem regressiva para fim dos trabalhos da CMLF este ano, considerando uma aula de democracia e garantia de direitos, quem votar a favor da PL 72 está aprovado, já quem for do contra…

2 comentários:

  1. Vergonha os professores reda que lecionaram em 2014 e foram demitidos muitos ainda não receberam sua recisao ,principalmente quem estava de licença médica ou maternidade… A informação dada pelo sefaz é que a ordem é suspender os pagamentos! Indignação é a palavra!

    Responder

  2. Vergonha os professores reda que lecionaram em 2014 e foram demitidos muitos ainda não receberam sua recisao ,principalmente quem estava de licença médica ou maternidade… A informação dada pelo sefaz é que a ordem é suspender os pagamentos! Indignação é a palavra!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here